Kinvo Artigos

4 Setores do mercado para diversificar a carteira de investimentos

4 Setores do mercado para diversificar a carteira de investimentos

Compartilhe essa publicação

Investir no mercado financeiro significa assumir riscos. A depender dos investimentos escolhidos, eles podem ser maiores ou menores. Porém, existem estratégias capazes de diminuir as chances de você se deparar com perdas financeiras — é o caso da diversificação do portfólio.

Ela consiste em fazer aportes em diferentes alternativas de investimento. Ademais, isso deve ser feito de modo que seja possível equilibrar a relação risco e retorno de sua carteira. Por exemplo, ao investir em diferentes setores do mercado.

Se você quer saber melhor como a estratégia funciona, continue a leitura. Neste artigo, você conhecerá 4 setores do mercado para diversificar a sua carteira de investimentos.

Não perca!

Por que diversificar a carteira com diferentes setores do mercado? 

Para saber o motivo de diversificar sua carteira de investimentos, é necessário conhecer o que é a diversificação. Trata-se de uma estratégia bastante conhecida e utilizada por investidores na composição do portfólio.

Como você viu, para fazê-la, o investidor deve montar sua carteira com variados investimentos. Mais do que isso, é necessário que as escolhas contemplem riscos distintos, se expondo a condições diferentes do mercado.

Nesse sentido, é possível recorrer a múltiplos setores, modalidades e classes distintas de investimentos — e, inclusive, contemplar exposição internacional. Desse modo, o seu portfólio não ficará restrito a apenas um tipo de risco e, consequentemente, seu capital estará mais protegido.

Para entender melhor, imagine que a sua carteira é composta apenas por ativos do mercado brasileiro. Se, eventualmente, houver uma crise econômica ou política no Brasil, você poderá se deparar com perdas financeiras expressivas.

Agora, se a sua carteira também estiver exposta aos mercados estrangeiros, a crise nacional não afetará todos os seus investimentos. A depender da situação, os ganhos obtidos fora do país poderão ser o bastante para neutralizar os prejuízos sofridos com a crise interna.

Ou seja, a diversificação é uma estratégia importante àqueles que investem, especialmente quem possui objetivos de longo prazo. Afinal, o seu dinheiro ficará exposto aos riscos do mercado por mais tempo, então considerá-la tende a fazer bastante sentido.

4 Setores do mercado para diversificar a carteira

Você já entendeu a importância de diversificar a sua carteira de investimento. Agora, vale conhecer alguns setores do mercado que podem oferecer oportunidades para quem deseja compor um portfólio mais robusto e diversificado.

Confira 4 setores de mercado que podem atender a essa finalidade!

1. Tecnologia

O setor da tecnologia está em constante expansão. Todos os anos surgem novas tecnologias que facilitam o dia a dia das pessoas. Se antes a comunicação acontecia por cartas, telegramas e telefonemas, hoje os e-mails, mensagens e vídeos são transmitidos em segundos para qualquer lugar do mundo.

Além disso, tarefas complexas estão sendo atribuídas aos algoritmos e inteligências artificiais que estão cada vez mais próximas de replicar um comportamento humano. Desse modo, estar exposto aos resultados desse setor pode trazer benefícios ao seu portfólio.

Entretanto, uma dificuldade enfrentada pelos investidores brasileiros é que as maiores empresas de tecnologia estão listadas em bolsas internacionais — principalmente norte-americanas. No entanto, esse obstáculo pode ser facilmente superado com o investimento via BDRs ou ETFs.

Os brazilian depositary receipts (BDRs) e os exchange traded funds  (ETFs) são alternativas disponíveis na B3 (a bolsa de valores brasileira) que estão atreladas a investimentos do exterior. Logo, investir nesses ativos é uma maneira de se expor aos mercados internacionais, sem precisar sair do país.

Veja alguns exemplos de BDRs disponíveis na B3:

  • AAPL34 (Apple);

  • AMZO34 (Amazon);

  • GOGL34 (Google);

  • FBOK34 (Meta — antigo Facebook);

  • NFLX34 (Netflix).

2. Games

O setor dos games está entre aqueles que mais cresceram durante a pandemia de covid-19, em 2020. Considerando as medidas restritivas impostas na ocasião, os jogos passaram a ser ainda mais utilizados como forma de entretenimento e de socialização à distância.

Contudo, não existem muitas empresas brasileiras que atuam nesse segmento. Nesse caso, você também consegue se expor ao setor ao investir em BDRs ou ETFs ligados ao setor.

Os ETFs são veículos de investimento coletivos, que visam replicar o desempenho de um índice de mercado. Nesse sentido, o portfólio de um fundo desse tipo é composto pelos mesmos ativos que integram o benchmark espelhado.

No final de 2021, por exemplo, foi lançado na B3 o ETF JOGO11, da gestora Investo. Ele busca espelhar o índice internacional MVIS Global Video Gaming & eSports.

Diante disso, sua carteira é composta por ações de diferentes empresas ligadas ao mundo dos games e e-sports. Confira algumas delas:

  • Capcom;

  • Nintendo;

  • Activision/Blizzard;

  • Konami;

  • Bandai Namco;

3. Criptomoedas

Outro setor que cresce em larga escala é o de criptomoedas. Após a criação e sucesso do bitcoin, já foram lançadas mais de 9 mil criptomoedas que proporcionam os mais diversos resultados. Em pouco tempo, as finanças descentralizadas ganharam um grande espaço nos meios de pagamento.

Então buscar exposição a esse setor pode potencializar a diversificação de sua carteira, sobretudo por estar desvinculada do mercado tradicional. Porém, a falta de regulamentação em muitos países, como no Brasil, pode aumentar o risco do investimento direto.

Caso você queira participar desse setor, existem ETF na bolsa brasileira que replicam índices compostos apenas por criptomoedas. Veja exemplos:

  • BITH11 (bitcoin);

  • QETH11 (ethereum);

  • HASH11 (bitcoin, ethereum, litecoin, chainlink, uniswap, entre outros).

4. Cannabis

Muitos países estão revendo os seus conceitos e legislações a respeito do uso de cannabis para fins medicinais e recreativos. Assim, indústrias que atuam nesse segmento possuem expectativas de crescimento. Logo, esse novo mercado pode representar uma oportunidade de diversificação.

Por ser considerada um psicotrópico, a cannabis é proibida no Brasil desde 1932. Logo, a indústria de cannabis ainda encontra dificuldades em se estabelecer no país. No entanto, é possível se expor ao setor ao investir em fundos de investimentos.

Em 2019, a gestora Vítreo lançou o primeiro fundo 100% exposto a fundos de índice e ações de empresas dos Estados Unidos e Canadá atrelados ao segmento. Vale saber que as cotas de fundos de investimento tradicionais são adquiridas nas plataformas das instituições financeiras — como os bancos de investimentos.

Conseguiu acompanhar os 4 setores do mercado que podem ser utilizados na diversificação de sua carteira? Como você aprendeu, essa é uma estratégia que ajuda a equilibrar a relação entre risco e retorno do portfólio. Então vale a pena considerá-la quando for investir.

Quer conhecer uma plataforma completa para acessar investimentos de diversos setores do mercado? Confira as soluções ofertadas pelo Banco BTG Pactual, parceiro do Kinvo!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar