Aluguel de ações: o que é, como funciona e como lucrar com essa prática?

Aluguel de ações: o que é, como funciona e como lucrar com essa prática?

Para obter rentabilidade no mercado acionário, você não precisa se limitar ao recebimento de proventos ou à compra e venda dos papéis. Também existe a possibilidade de realizar o aluguel de ações — então vale a pena entender como ele funciona.

Com esse processo, tanto quem tem as ações quanto quem as aluga temporariamente pode aproveitar vantagens. Porém, é necessário ter atenção para saber como realizar as operações para aumentar as chances de elas serem lucrativas.

Neste artigo, você descobrirá o que é o aluguel de ações e como ele funciona. Confira!

O que é o aluguel de ações?

O aluguel de ações é uma operação que prevê que o investidor que possui as ações na sua carteira as empreste para outro operador. Isso acontece mediante o pagamento de uma taxa de aluguel, por um período determinado.

Esse processo também é conhecido como custódia remunerada ou empréstimo de ativos. Como você verá, ele ocorre diretamente na bolsa de valores e traz diferentes possibilidades para as partes envolvidas.

Como o aluguel de ações funciona?

Para entender melhor o aluguel de ações, vale a pena explorar seu funcionamento em detalhes. Nesse sentido, é preciso começar definindo a atuação de cada operador.

De um lado, há o doador, que é quem possui as ações na carteira. Normalmente, o doador é um investidor de longo prazo, que adota uma estratégia de manutenção dos papéis na carteira visando continuar sócio da companhia.

Já o tomador é quem aluga as ações para tê-las emprestadas. Quem costuma fazer isso são especuladores em busca de lucro no curto prazo. Em troca, eles pagam uma taxa acordada com o doador — que é proporcional ao período em que os ativos são mantidos alugados.

Para que o aluguel se concretize, há o intermédio da instituição financeira — como o banco de investimentos — e da bolsa de valores brasileira, a B3. Assim que o tomador aluga ações, ele pode movimentá-las em suas operações.

É comum que as ações alugadas sejam usadas em vendas a descoberto, que acontecem quando um operador vende um ativo sem tê-lo na carteira. Em geral, isso serve para quem deseja aproveitar para lucrar em um momento de queda do mercado.

Ao final do período acordado, o tomador deve devolver as ações para o doador, conforme o combinado. Se quem aluga não cumprir as condições, a B3 garante a liquidação da operação — gerando maior segurança para ambas as partes.

Exemplo prático

Para compreender como o aluguel de ações funciona na prática, é interessante usar um exemplo numérico. Então imagine que um determinado investidor tem 1000 ações de uma empresa em sua carteira.

Ao descobrir a possibilidade, ele deseja alugá-las por uma taxa de 2% ao ano. Para saber quanto receberá de aluguel, é necessário considerar o preço dos papéis quando o contrato é firmado.

Então se as ações forem negociadas a R$ 50 no período, a taxa de aluguel será de R$ 1000 ao ano. Se o aluguel for por apenas 6 meses, o valor pago será de R$ 500, já que há proporcionalidade na aplicação da taxa.

Agora, imagine que o tomador alugou as ações e as vendeu a R$ 50. Após um determinado período, os papéis passaram a valer R$ 45. Ele então pode recomprar os papéis, tendo um lucro de R$ 5 por ação — ao total, somando R$ 5 mil.

Desse montante, ele pagará R$ 1 mil pelo aluguel de ações e terá um lucro de R$ 4 mil, subtraindo taxas e impostos. Lembre-se, no entanto, que esse exemplo serve apenas para compreensão didática, e não significa que os valores serão usados em operações reais.

Quais são as vantagens desse empréstimo?

Depois de entender como funciona o aluguel de ações, é mais fácil compreender as vantagens desse processo tanto para o doador quanto para o tomador.

No caso do doador, o aluguel de ações pode ajudar a aumentar a rentabilidade dos seus papéis. Afinal, essa é mais uma forma de obter ganhos com o investimento — e sem precisar realizar novos aportes.

Além disso, alugar os ativos pode ser uma maneira de diminuir eventuais riscos e perdas diante de quedas do mercado. Uma eventual desvalorização dos papéis poderá ser compensada, mesmo que parcialmente, pelos ganhos obtidos com o aluguel.

Ainda, você pode obter retornos periódicos sem precisar se desfazer dos papéis e sem renunciar ao recebimento de proventos. Se a empresa distribuir dividendos enquanto as ações estiverem alugadas, por exemplo, o doador receberá os valores mesmo assim.

Para o tomador, uma das vantagens do aluguel de ações é a economia. Em vez de comprar os papéis, é possível pagar apenas uma fração do valor para movimentá-las e operar vendido, se for aplicável, buscando lucros com a especulação na bolsa de valores. 

Para as duas partes, um dos grandes benefícios é a segurança operacional do processo. Como a B3 oferece garantias para todos os envolvidos, é possível alugar ações de forma segura.

Quais cuidados ter antes do aluguel de ações?

Embora a operação seja segura, o aluguel de ações exige atenção. Em primeiro lugar, é preciso realizar esse processo de forma regulada, por meio da bolsa de valores. Do contrário, não há segurança para as partes.

Além disso, é importante considerar as condições gerais de mercado. O doador deve observar, por exemplo, qual será o aluguel cobrado e outras características relacionadas à operação. 

Para o tomador, é ainda mais relevante ter atenção aos riscos. Afinal, operar vendido na bolsa pode gerar perdas ilimitadas, já que os papéis podem se valorizar indefinidamente. Portanto, é preciso avaliar o mercado para confirmar que a estratégia faz sentido para você.

Como lucrar com essa operação?

Depois de compreender as principais características sobre o aluguel de ações, você pode ainda ter dúvidas sobre como lucrar com essa operação. Para o doador, basta manifestar o interesse de alugar seus ativos para o seu banco de investimentos.

Para o tomador, é importante verificar as tendências do mercado e identificar se faz sentido fazer a venda a descoberto ou determinadas operações estruturadas utilizando o aluguel de ações. Com uma boa análise do cenário, é possível definir os parâmetros e aumentar as chances de obter lucros.

Entendeu o que é e como funciona o aluguel de ações? Com essa modalidade, você pode realizar outras operações ou rentabilizar seus papéis com segurança e praticidade. Então não deixe de considerar se a alternativa se adéqua à sua estratégia!

Gostou de conhecer o tema? Para acompanhar sua carteira de investimentos em um só lugar, inscreva-se e experimente o Kinvo!

 

 

Você também vai gostar